O que fazer se o bebê engasgar com o leite materno?

Era essa uma das linhas principais dúvidas e do meu desespero, especialmente nos 3 primeiros meses de vida do Lucas.

Meu filho é um bebê grande e forte, só quem é mãe sabe o que isso significa. O pequenino , nem tão pequenino, já nascido com 51cm e quase 4Kg, mamava desesperadamente. Esse era inclusive um dos fatos que eu não fazia ideia na vida real. 

Quando pensamos em bebês ainda grávidas, imaginamos criaturas fofinhas, de bochechas rosadas que mamam com tranquilidade e dormem o dia todo. Bom, comigo nem uma coisa é nem outra aconteceu. Lucas dormia pouco de dia e de noite no máximo 3h seguidas eram um milagre. 

Alguns dizem que meninos mamam mais do que meninas, outros dizem que isso é lenda. Como só amamentei o Lucas, meu garotão, não posso afirmar o outro lado e nem se todos os meninos mamam muito, mas o fato era que o meu bebê mamava assustadoramente. A cada 2 horas ele já tinha fome de novo durante o dia e chegamos a recordes dele mamar em um dia mais de 6h no total. Isso significa que eu praticamente tinha um piercing de mamilo em formato de bebê, porque ele literalmente vivia agarrado ao meu peito com sua boquinha pequena.

Eu não tive problemas maiores de amamentação, por sorte. Lucas sempre amou com maestria, pegada correta, nunca me machucou, eu não tive rachaduras, mastite, nada, mas sei que sou uma exceção abençoada, já que a maioria das mulheres encontra obstáculos ao amamentar. 

O meu obstáculo, na verdade, era sobreviver à necessidade sugadora do meu filho. Ele mamava muitas horas por dia e de uma maneira assustadora, desembestada, rápida, como se o leite do meu peito fosse secar naquele momento e ele precisasse tomar tudo o que podia para fazer suas reservas e sobreviver. Sério, era assustador, especialmente para uma mãe de primeira viagem.

Com os ritmos alucinados de mamada o engasgo era algo frequente, especialmente de madrugada. Os engasgos eram o meu desespero. Nessa época eu comecei a buscar informação útil sobre o assunto é achei imprescindível falarmos disso no blog. A verdade é que fazer o procedimento correto para reverter o engasgo do bebê, pode sim salvar a vida dele.

Muitas vezes eu e o meu marido fizemos o procedimento de madrugada. Não tivemos engasgos completos, mas por via das dúvidas, sempre fazíamos o procedimento quando o bebê parecia ficar sem ar e desesperado e sempre deu certo, então fica a dica aqui para mães e pais aprenderem o que fazer em caso de engasgos. 

Algumas dicas:

– Amamentar em ambiente tranquilo, porque o barulho agita a criança e ela passa a sugar com mais velocidade. 

– Amamemtar sentada e segurar o bebê levemente inclinado, nuca na posição totalmente horizontal. 

– O bebê também deve mamar nos dois seios, a começar pelo mais cheio.

– Após a amamentação o bebê deve ser posicionado no sentido vertical, contra o peito da mãe e com a cabeça no ombro para arrotar e evitar que ele regurgite ou engasgue

– Se o bebê engasgar é necessário fazer a desobstrução das vias aéreas (manobra de Heimlich). Para isso, a mãe deve estender o braço, deitar a criança em cima do braço dela (da mãe) com a cabeça para baixo (de bruços) e fazer uma pressão na região dorsal (costas) em direção a cabecinha ou dar leves palmadinhas com movimentos leves e delicados. Parar de fazer isso quando a criança começar a chorar, voltar a respirar e ficar rosada novamente. 

  

Vale a pena ver o vídeo abaixo para tirar as dúvidas e entender corretamente como desengasgar a criança. Ah, sei que é difícil, mas mantenha a calma!