Como ajudar a criança que recusa comida?

  

A recusa alimentar é um dos comportamentos mais angustiantes para os pais.

A idéia de que a criança irá adoecer e morrer é uma ameaça constante, embora raras vezes real.
A insistência, as broncas e as ameaças constantes, aliadas ao desespero dos pais, apenas tornam a relação da criança com a comida mais tensa, perpetuando um círculo vicioso: comer é um problema.

O primeiro passo para mudar este cenário é esquecer os alimentos, quantidades e horários “ideais”. É preciso reestabelecer a relação da criança com a comida aos poucos.

Ela tem fome? Quais são suas texturas favoritas? Quanto gosta de comer? Como? A criança gosta de que alguém a alimente? Ou prefere ter o controle?

Talvez os pais precisem da ajuda de alguém menos preocupado com o sucesso de cada refeição do que eles próprios para realizar esta tarefa. Ou se revezarem, um apoiando o outro e lembrando que é preciso ter muita paciência. E curiosidade. Do que ela gosta? Por que não gosta? Vale lembrar: não restrinja seu interesse pela criança à alimentação!

É importante reconhecer e respeitar as características de cada criança, tanto em relação à comida, quanto, principalmente, fora da mesa.

Quando toda a atenção se volta para a questão alimentar, a criança fica “desnutrida” não só neste aspecto, mas também deixa de receber outros alimentos fundamentais, como o olhar alegre e orgulhoso de seus pais. Deixa de ter reconhecidos também todos os seus ritmos, gostos e desejos.

Quer ajudar uma criança a ter uma relação melhor com a comida? Procure ajuda para ter uma relação melhor com a criança.

———————————————-

Texto por Núcleo da Família – Clínica de Psicologia http://www.nucleodafamilia.com.br / Telefone: (11) 4872-2935 / e-mail: contato@nucleodafamilia.com.br / Endereço: Avenida Rouxinol, 60 – conjuntos 708/710 – Moema – São Paulo – SP / Horário de Atendimento: Segunda a Sexta das 7 às 21h